sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Ataque de fúria

Não sou pessoa de guardar ressentimentos, mas há uma "mulher", neste mundo que só me apetece acertar-lhe o passo. É pá, está-me aqui entalada e eu só vou conseguir ficar em paz comigo própria quando aliviar o stress que tenho acumulado. Por tudo o que fez, o que está a fazer e o que está a fazer-me passar. E logo eu que não gosto de confusões, de arranjar problemas, sou a paz em pessoa (mas às vezes passo-me, mas é só 10 segundos). Mas dava-me imenso prazer olhar para ela, confronta-la e se fosse caso disso, aquecer o corpo. Só uma estalada já ficava contente e leve.

Sem comentários:

Enviar um comentário